Salve Jorge x Salve Cristo

Por em 15, maio 2013
salvecristo

O mundo inteiro foi traficado. O ser humano deveria viver feliz, mas Satanás trouxe dor e sofrimento ao escravizar a humanidade que caiu em pecado. Mesmo assim, existe um Salvador e o resgate está próximo

Escrito por Vanessa Moraes

Às nove horas da noite, no horário de Brasília, a TV Globo exibe a novela “Salve Jorge”. A trama que foi pela primeira vez ao ar em 22 de outubro do ano passado, está na reta final e terá seu último capítulo apresentado na sexta-feira, dia 24. Não vamos falar sobre o ibope e audiência ou ainda sobre o trajeto tumultuoso que teve, mas sobre seu principal assunto. O tema que norteou todas as gravações foi o tráfico internacional de pessoas.

As novelas não fazem parte da vida do cristão. O tempo usado para assisti-las pode ser empregado para o estudo da Bíblia e a oração. Mesmo assim, centenas, até mesmo milhares de cristãos, não desgrudam os olhos da telinha quando o Jornal Nacional chega ao fim. Isso sem contar as novelas dos horários anteriores ou que são exibidas em outras emissoras. Mas essa questão fica para a próxima, não vamos tratar disso no momento.

“Salve Jorge” tentou retratar a vida de quem é traficado, seja para ser escravo sexual em outros países ou para ser vendido (quando bebê) para famílias com bom poder aquisitivo. A discussão do assunto trouxe coragem a pessoas que decidiram fazer denúncias de tráfico de pessoas, inclusive no Brasil. Nesta quarta-feira, 15, a Polícia Federal deflagrou a Operação Liberdade para desconjuntar uma quadrilha de tráfico internacional que trazia pessoas de Bangladesh para trabalhar como escravas no Distrito Federal. Os estrangeiros vinham ao Brasil com a promessa de que receberiam um salário variante entre um e 1,5 mil dólares para trabalhar na construção civil e eram-lhes cobrados 10 mil reais pela imigração ilegal.

Casos como esse são cada vez mais comuns, infelizmente. O tráfico mais comum que existe é o de prostituição. Você já pensou em como deve ser a vida dessas pessoas? Muitas conseguem ser resgatadas pela polícia ou por anônimos. Outras ficam sujeitas à escravidão, isso quando não perdem a vida. Que realidade triste! Mais triste ainda é saber que todos os seres humanos também são escravos. Todos são escravos do pecado. O traficante que destituiu a humanidade foi Satanás, quando pecou no céu ao ter inveja e querer tomar o lugar de Deus.

Não existe São Jorge ou qualquer outro santo que possa livrar a humanidade da escravidão de Satanás. O mundo precisa de um Salvador verdadeiro, que possa conceder a paz, acabar com o sofrimento e trazer alegrias. Embora todos sejamos escravos do pecado, temos a rica certeza de que Cristo morreu na cruz para nos resgatar. Ele já pagou o preço da nossa “dívida”, quando deu seu último suspiro no Calvário. Cada um de nossos pecados foi perdoado. Seja carnal ou espiritual, a escravidão que existe hoje, um dia terá fim. E esse tempo está muito mais próximo do que imaginamos. Jesus está voltando e resgatará Seus filhos. Não haverá mais lutas, pranto, tristeza nem dor, porque as primeiras coisas passaram.

Sobre Vanessa Moraes

Vanessa Moraes é jornalista da Seven Editora, empresa que publica as revistas Mais Destaque e Desbravar. Formada pelo Unasp campus Engenheiro Coelho, trabalhou na instituição como assessora de comunicação e também tem formação técnica em rádio e TV. Devoradora de livros, é apaixonada pelo seu trabalho e pretende mostrar Deus às pessoas através dele. Gosta de cantar e não perde a oportunidade de tomar aquele suquinho de laranja natural.

One Comment

  1. Galhardo

    22 de maio de 2013 at 17:50

    Veja como satanás é esperto, mistura a verdade com o erro. A realidade com a mentira. Percebeu? A novela retrata um ser inexistente; por outro lado, o ser existente do tráfico. Muito esperta a autora!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>