Supersimples

Por em 7, outubro 2014
Empresarial - Site_Super Simples (1)

Empresários e prestadores de serviço devem analisar, cautelosamente, o regime tributário do seu negócio

Escrito por Douglas Perez Barros

Como novidade para o ano 2015, a Receita Federal do Brasil irá lançar o Supersimples. O Projeto de Lei Complementar nº 221/12, aprovado de forma unânime pelos deputados, atualiza o Simples Nacional, Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar nº 123/06. O assunto ainda tramitará no Senado e passará para a sanção presidencial, mas, por estarmos em um ano eleitoral, o assunto será resolvido de forma rápida. Por meio dessa mudança, será ampliado o número de setores enquadrados no Simples Nacional. Categorias de profissionais liberais, como médicos, advogados e jornalistas, poderão ser enquadradas no regime tributário Simples.

Com a mudança, para o ingresso ao sistema, o único fator limitador é o faturamento anual de R$ 3,6 milhões ou R$ 300 mil por mês. Essa atividade não mais irá interferir na opção do Simples. Se eu parasse por aqui, poderíamos dizer que houve um grande avanço e que, finalmente, chegamos a um plano tributário mais justo e interessante aos empresários, mas a felicidade dura pouco. Como bem sabemos, é difícil aprovar qualquer matéria sobre questões tributárias, e, para que o assunto tramitasse de forma rápida, tiveram que criar uma nova sistemática para os setores beneficiados.

Essa nova tabela possui alíquotas pouco atrativas, ou seja, enquanto empresas enquadradas no Super Simples pagam entre 4% e 12% de imposto sobre o faturamento bruto, as novas empresas que entrarem para o regime simplificado vão desembolsar de 16,93% a 22,45% de tributos. De fato, a vantagem no Super Simples é a desburocratização das obrigações acessórias das empresas, ou seja, a unificação dos impostos em uma única guia e a simplificação das informações ao fisco. Portanto, é imprescindível analisar, estudar e verificar qual, de fato, é a melhor alternativa tributária para sua empresa. Mais uma vez, fica a dica de buscar uma consultoria profissional da área para lhe apresentar o cenário tributário e a melhor opção para sua empresa.

Uma escolha errada pode gerar prejuízos e dificuldades futuras para o negócio. Tenho um cliente que, em 2010, não atentou para o regime tributário. Resultado: perdeu o benefício do Simples no ano 2011, a carga tributária subiu de forma expressiva, ele acabou tendo que recorrer a terceiros (bancos) para poder honrar os compromissos e quase jogou por terra anos de trabalho. Você precisa avaliar e se aprofundar no assunto tributário e buscar orientação, para não arriscar o seu negócio e ter surpresas desagradáveis.

Sobre Vanessa Moraes

Vanessa Moraes é jornalista da Seven Editora, empresa que publica as revistas Mais Destaque e Desbravar. Formada pelo Unasp campus Engenheiro Coelho, trabalhou na instituição como assessora de comunicação e também tem formação técnica em rádio e TV. Devoradora de livros, é apaixonada pelo seu trabalho e pretende mostrar Deus às pessoas através dele. Gosta de cantar e não perde a oportunidade de tomar aquele suquinho de laranja natural.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>